Ronildo Macedo diz a líder comunitário para ir trabalhar, pois não vai ganhar nada desta Câmara

por hayslla — publicado 03/04/2019 11h28, última modificação 03/04/2019 11h28

Denúncia do Ceará da Assossete para instaurar CPI foi rejeitada por unanimidade


Na sessão ordinária desta terça-feira, 2 de abril, a Câmara de Vereadores de Vilhena rejeitou a denúncia protocolada pelo eleitor Ivan Bezerra de França, o Ceará da Assossete, autointitulado líder comunitário que solicitou a instauração de Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI contra os vereadores Adilson Wiebbelling de Oliveira e Ronildo Macedo.

 

Os vereadores rejeitaram a denúncia após o parecer jurídico da Câmara, junto com o parecer da Justiça vilhenense, concluir que a Câmara não causou dano ao erário e deve continuar a pagar despesas de energia e água na obra de reforma e ampliação.

 

Após a denúncia ser rejeitada, o presidente da Casa de Leis Ronildo Macedo fez uso da palavra:

“Estão banalizando o Poder Legislativo de Vilhena, infelizmente é uma oposição fraca que sempre esteve no poder e que me ameaça querendo cargos políticos e aqui não vai ter isto”, afirmou.

 

“Esta Câmara de Vereadores é uma Câmara honesta que economizou quase R$ 5 milhões na gestão do meu colega Adilson de Oliveira e nesta gestão em três meses já se economizou aproximadamente R$ 800 mil e isso incomoda. Quando você é honesto incomoda as pessoas que estão de fora”, asseverou.

 

“É melhor o senhor ir trabalhar e cuidar da família, porque não vai ganhar nada aqui com essas ameaças. O trabalho é sério e verdadeiro e vamos continuar nessa luta”, disse Ronildo ao líder comunitário Ceará da Assossete, que estava presente na sessão.

 

Ronildo finalizou afirmando que a Câmara vai economizar em torno de R$ 7 a R$ 8 milhões nos quatro anos, algo que nunca foi economizado, nem R$ 100 mil em 40 anos de existência da Câmara de Vereadores.

 

DICOM - Câmara de Vilhena