Presidente da Câmara pede que câmeras de monitoramento passem por manutenção

por hayslla — publicado 18/07/2018 11h27, última modificação 18/07/2018 11h27

 

O sistema começou a operar em 2013 e teve um custo inicial ao município de cerca de R$ 300 mil, sendo outros R$ 300 mil oriundos da iniciativa privada.

 

Na sessão da Câmara de Vereadores realizada na última terça-feira, 18, o presidente da Casa de Leis, Adilson de Oliveira, apresentou três indicações parlamentares. Em uma delas, através da indicação nº 510/2018, solicita a manutenção do sistema de monitoramento da cidade. 

 

Esse monitoramento visa trazer mais segurança à população e ajudar na elucidação de crimes, porém, grande parte dessas câmeras se encontram desativadas por falta de manutenção, são 20 câmeras desativadas no momento. 

 

"Esse sistema já ajudou muito à Polícia Militar, em alguns casos, antes mesmo do crime acontecer, os militares já haviam verificado a atitude suspeita e se dirigido ao local, impedindo que o crime acontecesse. Foi feito um grande investimento e é preciso que esse monitoramento volte a funcionar de forma plena. A população já sofre com a insegurança e temos visto um aumento no número de roubos e vandalismo. Com o monitoramento em funcionamento novamente, se cria uma insegurança naquele que está prestes a cometer um delito, pois sabe que pode estar sendo filmado naquele momento", justificou Adilson.

 

 

DICOM - Câmara de Vilhena