Intermediação de vereadores desinterdita aterro e melhora meio ambiente em Vilhena

por suelen — publicado 28/08/2017 10h34, última modificação 28/08/2017 10h34
Vereadores atenderam a reivindicação de representantes da associação de entulhos

Nesta terça-feira, 22 de agosto, o local usado pela Associação dos Coletores de Entulho de Vilhena – ACEV para a separação do entulho da cidade de Vilhena foi interditado pelo secretário municipal do Meio Ambiente Jorge Rabello, devido a alguns problemas ambientais no funcionamento do local. A área é uma concessão da prefeitura para a associação.

A interdição deixou toda uma cadeia de distribuição, empresas e funcionários sem trabalho. Os representantes da ACEV decidiram pedir a ajuda dos vereadores e se deslocaram até a Casa de Leis, onde foram acolhidos pelos vereadores Adilson de Oliveira (PSDB), Carlos Suchi (PTN) e Wilson Tabalipa (PV).

Imediatamente, os vereadores fizeram reuniões com o secretário do Meio Ambiente Jorge Rabelo, o diretor do SAAE Arijoan Cavalcanti e Paulinho, diretor de resíduos sólidos da autarquia.

Nesta sexta-feira, 25 de agosto, todas as partes chegaram a um acordo e aconteceu uma reunião no local do aterro, na área urbana de Vilhena entre a Linha 135 e a estrada que dá acesso à moradia dos índios.

“Conseguimos a desinterdição do local em tempo recorde. De agora em diante a separação do entulho será supervisionado por funcionários do SAAE que vão garantir que todas as regras de preservação do meio ambiente sejam cumpridas. No dia 5 de setembro vence a concessão e o SAAE vai assumir o aterro. A situação era preocupante, mas já solucionamos”, afirmou o presidente da Câmara de Vereadores Adilson de Oliveira.

“A separação vai ser feita pela cooperativa de catadores abrindo espaço para colocar mais cinco famílias trabalharem no local. A questão é fazer a destinação correta do lixo, com respeito ao meio ambiente e vimos a boa vontade das autoridades em poder chegar a uma solução”, disse o vereador Wilson Tabalipa.

“Os membros da ACEV são antigos moradores da cidade e sempre acreditaram no potencial econômico da cidade, por isso investem aqui. Eles estavam sem lugar para destinar os resíduos e estavam desamparados correndo o risco de não poder levar o sustento às suas famílias”, pontuou o vereador Carlos Suchi.

O secretário do Meio Ambiente, Jorge Rabelo, parabenizou a intermediação dos edis para solucionar o impasse: “Se não fosse a Câmara intermediar, o Arijoan aceitar e a boa vontade da associação para negociar, eu não teria desinterditado. Mas vi que havia boa intenção por todas as partes. Agradeço e peço aos vereadores que façam requerimentos e indicações na minha secretária que eu vou agradecer. A secretaria está disposta a ajudar sempre que houver a boa vontade para melhorar”, asseverou.

Com a desinterdição e a adequação da destinação do entulho foi aberto um flanco para iniciar uma nova etapa que vai proporcionar inclusão e emprego e melhorias que vão preservar o meio ambiente.