Vera da Farmácia esclarece falta em sessão de votação da CPI

por Hayslla Mikaella do Couto publicado 20/10/2018 18h50, última modificação 23/10/2018 09h31
A vereadora Vera da Farmácia (MDB) afirmou nesta quinta-feira, 19 de outubro, que infelizmente não pôde comparecer na sessão extraordinária em que foi realizada a votação para a cassação do vereador Célio Batista (PR), pois estava passando mal e tomando medicamentos no hospital, após ser detectada uma infecção forte em seu sangue, a qual a parlamentar comprova com o exame clínico realizado no dia.
“Eu passei mal pouco antes do almoço, me sentindo com tontura e mal-estar. Fui ao médico fiz exame e foi constatada uma infecção urinária e durante a tarde, eu fiquei tomando medicamento intravenoso no hospital”, disse a vereadora. 
A parlamentar ainda ressaltou que de forma alguma iria deixar de votar na CPI se estivesse em condições de saúde. “Eu participo da CPI em desfavor do vereador Marcos Cabeludo, sei da importância do voto e do trabalho da CPI. E eu não tinha nenhum motivo para fugir ou me abster de votar. Eu realmente não tinha condições de comparecer na sessão naquela tarde”, explicou Vera. 
A vereadora disse ainda que se sente triste com algumas pessoas, que não entendem que qualquer pessoa pode ficar doente. “... infelizmente alguns acreditam que eu não estava doente, mas quem me conhece sabe do meu trabalho e respeito com a população, e acredito que quem fica com insinuações maldosas não acrescenta nada ao nosso município”, finalizou Vera.
 

 

DICOM - Câmara de Vilhena