Sem Taxa Social, França Silva votará contra qualquer aumento na taxa de água em Vilhena

por Hayslla Mikaella do Couto publicado 01/06/2017 08h22, última modificação 01/06/2017 08h22
Projeto atual de aumento na taxa de água não prevê desconto social para pessoas de baixa renda.

O vereador França Silva (PV) participou da audiência pública promovida pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Vilhena, que aconteceu na noite de última terça-feira, 30 de maio, no auditório da Câmara de Vereadores.

Em sua fala o vereador ressaltou que é importante e muito saudável o debate entre os entes públicos e a sociedade para a discussão de aumento de taxas, como a de água, exemplo que deveria ser seguido em outras situações.

França disse que não irá concordar com nenhum percentual de aumento de taxa na água dos vilhenenses, se no projeto não for incluso a Taxa Social, que reduz em 50% o valor da taxa para pessoas com hipossuficiência financeira comprovada.

“A população está sofrendo demais com diversos aumentos no país inteiro, nem todos têm condições para pagar por mais aumentos. Por isso, aqueles que comprovadamente, através de cadastro têm uma condição econômica desfavorável, a prefeitura tem que ajudá-los, faz parte da justiça social”, disse França.

França ainda ressaltou a necessidade de valorizar os trabalhadores, “Os servidores do SAAE também precisam de condições melhores de trabalho e rendimentos mais à altura, pois isso reflete no trabalho prestado à população. Tem que se pensar nesse ponto como fundamental”, salientou França. 

 

PROMESSA

Acompanhando seu colega, o vereador Ronildo Macedo (PV), que será presidente da Câmara no biênio 2019/2020, questionou o diretor do SAAE, Arijoan Cavalcanti, sobre a promessa da prefeita Rosani Donadon (PMDB) de que daria o desconto de 50% na taxa de água aos mais humildes, “Eu lembro que na oportunidade da tentativa do aumento de 40% na taxa de água, houve a promessa por parte da prefeita de que haveria o desconto de 50% para as pessoas de baixa renda da cidade, porque isso não é mantido nesta nova proposta?”, indagou Ronildo.

O diretor do SAAE respondeu que a autarquia passa por um momento crítico, e que o percentual de 19,5% de aumento seria o ideal no momento, para suprir as necessidades atuais e até futuras do SAAE, contudo dentro deste ano de 2017, o projeto de uma tarifa social não se enquadraria e prejudicaria o andamento do SAAE.

Com pouco mais de 60 pessoas em plenário, uma votação, em que todos os vereadores foram contra, um aumento de 12,5% ficou firmado. Porém, com essa votação em audiência pública o SAAE ainda decidirá se fará outras audiências ou enviará o projeto para ser aprovado em sessão ordinária pela Câmara.

 

 

DICOM - Câmara de Vilhena