“Ficar sem médico perito é uma falta de respeito do INSS com a população”, afirma França Silva da Rádio

por Hayslla Mikaella do Couto publicado 03/08/2018 12h20, última modificação 03/08/2018 12h20

Vereador recebeu resposta do Ministério do Desenvolvimento Social

 

O vereador França Silva da Rádio recebeu a resposta do Ministério do Desenvolvimento Social referente à Audiência Pública, realizada no dia 11 de maio deste ano, que abordou a falta de Médico Perito na Agência do Instituto Nacional do Seguro Social – INSS em Vilhena. O INSS é uma autarquia federal vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Social.

 

A Agência de Previdência Social de Vilhena pertence à Gerência Executiva de Porto Velho e tem um perito médico lotado, mas encontra-se afastado por licença médica.

 

Na resposta, o ministério argumenta que o INSS vem reduzindo seu quadro de servidores e mantém atualmente 5.862 cargos de Perito Médico Previdenciário autorizados em todo o país. Destes há apenas 3.764 ativos e muitos em condições de aposentadoria. No período compreendido entre janeiro/2015 e abril/2018 houve uma perda de 804 peritos médicos, dos quais 225 saíram só no ano de 2017, uma média, de 20,1 peritos médicos por mês. Devido à defasagem o INSS já solicitou, de forma urgente, a realização de concurso público para preencher as vagas.

 

 

“Fico indignado com esta situação, que pela resposta vejo que acontece em todo o país. Estão brincando com a cara da população. Saúde deve ser prioridade e a morosidade para realizar o concurso público mostra a falta de compromisso do INSS com todos os brasileiros”, desabafou França Silva da Rádio, que afirmou que não medirá esforços até trazer os médicos peritos para a cidade.

 

“É um direito garantido pela Constituição e eles estão infringindo a Carta Magna, um total desrespeito com a população de todo o Cone Sul de Rondônia que infelizmente já vem sofrendo há muito tempo. As pessoas estão padecendo, saindo daqui para ir até Cuiabá e Porto Velho. Eles já estão em uma situação bem crítica é ainda tem que passar por essa humilhação. Já estou preparando novas ações que façam eco em Brasília. Não vou descansar até trazer esse benefício que é um direito básico da população”, finalizou França Silva da Rádio.